Café: lei de bioterrorismo não admitirá exceções a partir do dia 7

São Paulo, 5 - A partir de domingo (7), os Avisos Prévios rejeitados pela Agência Reguladora de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) na exportação de gêneros alimentícios para os EUA poderão resultar em multa para o importador e imediata recusa da carga. A informação é da Associação Nacional de Café dos EUA (NCA, na sigla em inglês), cujo relatório está no site do Conselho Nacional do Café (Cecafé). O preenchimento do Aviso Prévio, previsto na Lei de Bioterrorismo, permite ao FDA adiantar informações referentes ao embarque de alimentos importados pelos EUA. Dessa forma, o FDA tem realizado inspeções mais efetivas e garantido a segurança dos alimentos importados, antes de sua comercialização no território norte-americano. O FDA começou a receber os avisos prévios a partir de 12 de dezembro do ano passado. No entanto, algumas violações menos relevantes (exceções) poderiam ser toleradas até 1º de novembro, última segunda-feira. O FDA, porém, adiou o vencimento de exceções remanescentes para até domingo (7). São elas: número de registro submetido para o local do processamento inexato ou inválido, número de registro do exportador não fornecido, ou nome e endereço do último consignatário incorreto. Os Estados Unidos, no acumulado do ano até setembro, são o segundo principal importador de café verde do Brasil. Nos últimos nove meses os norte-americanos importaram 2,687 milhões de sacas de 60 kg. A Alemanha, maior compradora, importou 3,320 milhões de sacas no período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.