Café: produtores colombianos prevêem alta dos preços mundiais

São Paulo, 2 - O presidente da Federação de Produtores de Café (Fedecafe) da Colômbia, Gabriel Silva, estima um pequeno aumento na produção local em 2004/05, para 11,5 milhões de sacas de 60 kg, contra 11,05 milhões de sacas em 2003/04. As exportações devem ter ligeiro recuo, ficando abaixo das 10,2 milhões de sacas. Os dados foram divulgados ontem, no primeiro dia da conferência nacional do setor, realizada em Bogotá, e que prossegue até sexta-feira. "Se o déficit na oferta continuar, nós teremos dois anos de alta nos preços", disse Silva. Os representantes da federação que participaram do encontro estão otimistas quanto as tendências para o setor, apesar da queda do dólar, que poderia causar perdas para o setor no fim deste ano. Juan Francisco Suarez, presidente da conferência, disse que os produtores poderão perder até 200 bilhões de pesos (US$ 1 = 2,479 pesos colombianos) até o fim de 2004 como resultado do declínio da moeda norte-americana. Mas espera medidas do governo para compensar as perdas. Silva espera que os preços do café, que chegaram a ficar acima de US$ 1 por libra-peso pela primeira vez desde julho de 2000, continuem a subir nos próximos dois anos por causa da fraca oferta mundial. Ele alerta para a redução da safra no Brasil, maior produtor mundial, e nos países da América Central, que competem com a Colômbia no mercado de arábica. A pouca disponibilidade de arábica nos estoques certificados da New York Board of Trade (NYBOT) em 2003/04 levou ao aumento dos preços, algo entre 65 e 80 cents, informou a federação. Os representantes do Fedecafé também lembraram do sucesso das iniciativas para agregar valor ao café, como a abertura das 13 lojas da rede Juan Valdez na Colômbia e nos EUA. Segundo o diretor Eduardo Lehmann, as vendas destas lojas resultaram em ganhos de 686 milhões de pesos por mês, com uma média de 140.000 consumidores. A Fedecafe planeja realizar leilões dos estoques avaliados em 20 bilhões de pesos para os membros da federação assim que a bolsa permita. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 12h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.