Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Lucro da Caixa cresce 'apenas' 0,9% em 2015 e soma R$ 7,2 bilhões

Resultado ficou abaixo do registrado por outros grandes bancos, que tiveram uma alta de dois dígitos nos ganhos no ano passado

Cynthia Decloedt e Marcelle Gutierrez, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2016 | 10h38

SÃO PAULO - Encerrando a temporada de balanços dos grandes bancos do País, a Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira, 8, um lucro líquido de R$ 7,2 bilhões em 2015, alta de 0,9% em relação a 2014. O avanço tímido do lucro ficou abaixo do registrado por outros bancos, que tiveram uma alta de dois dígitos nos ganhos no ano passado

Os ativos próprios da Caixa somaram R$ 1,2 trilhão ao final de 2015, avanço de 13% contra 2014. O retorno sobre patrimônio líquido médio de 2015 ficou em 11,4%.

A carteira de crédito ampliada avançou 11,9% em 12 meses e alcançou saldo de R$ 679,5 bilhões, com participação de mercado de 20,9%. O crédito habitacional teve evolução de 13% no ano e saldo de R$ 384,2 bilhões, com participação de mercado de 67,2%. As contratações da carteira somaram R$ 91,1 bilhões ao final de 2015, dos quais R$ 55,5 bilhões com recursos do FGTS, incluindo subsídios, e R$ 34,8 bilhões com recursos do CAIXA/SBPE, além de R$ 807 milhões contratados com outros recursos.

O crédito comercial para pessoas físicas e jurídicas totalizou R$ 199,4 bilhões, alta de 4,8% em 12 meses. Já as operações de saneamento e infraestrutura apresentaram, ao final de 2015, saldo de R$ 70,9 bilhões e crescimento de 24,9% em relação a 2014.

A receita com prestação de serviços e tarifas também teve alta, de 12,6%. Já as despesas administrativas tiveram avanço de 5,6% no ano passado contra 2014 e as despesas de pessoal tiveram evolução de 10,5%.

Inadimplência. O índice de inadimplência acima de 90 dias foi de 3,55% em 2015, aumento de 1 p.p. no ano, influenciado pelas operações comerciais para pessoa física e para micro e pequenas empresas. As captações alcançaram saldo de R$ 940,9 bilhões, com crescimento de 15,3% em 12 meses. 

A base de clientes do banco alcançou 82,9 milhões em 2015, alta de 5,9% em 12 meses. A carteira de pessoas físicas atingiu 80,7 milhões, e a de pessoas jurídicas, 2,2 milhões.  (Com informações da Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.