Camargo Corrêa investe US$ 500 mi em Angola e Paraguai

A Camargo Corrêa Cimentos anunciou hoje planos de investir mais de US$ 500 milhões na construção de duas fábricas de cimento, uma em Angola e outra no Paraguai. Nos dois empreendimentos, a companhia contará com a participação de sócios locais, mas manterá o controle sobre a gestão dos negócios.

AE, Agencia Estado

30 de julho de 2010 | 17h07

Com aporte estimado em aproximadamente US$ 400 milhões e capacidade estimada em 1,6 milhão de toneladas de cimento por ano, a unidade que será construída na cidade de Lobito, na província de Benguela (Angola), deve gerar cerca de 500 empregos diretos. No mercado local o grupo irá operar com a marca Cimento Palanca. A unidade deverá entrar em operação no primeiro trimestre de 2013.

No Paraguai, a empresa realizou hoje o lançamento da pedra fundamental para a construção da sua primeira unidade da Cimentos Yguazú, em Villa Hayes, localizada a 30 quilômetros da capital Assunção. O investimento, calculado em US$ 100 milhões, é o maior investimento externo direto já realizado por uma companhia internacional no país vizinho.

A unidade terá capacidade de produzir 400 mil toneladas de cimento por ano e tem previsão de início de sua produção em 2012. No período de construção, a fábrica deve gerar cerca de 1.000 empregos diretos. Com o início da operação, a empresa deverá gerar outros 300 postos de trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:
cimentoCamargo CorrêaAngolaParaguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.