Camargo Corrêa retira proposta de fusão, informa Cimpor

A cimenteira Cimpor informou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) de Portugal que a brasileira Camargo Corrêa retirou a proposta de fusão apresentada à empresa em 13 de janeiro. De acordo com o comunicado, a Camargo entende que a manutenção da proposta seria um "elemento perturbador" dos processos em curso, o que contraria os pressupostos do seu projeto e o modelo adotado pela Camargo nos mercados internacionais em que atua.

NATALIA GÓMEZ, Agencia Estado

29 Janeiro 2010 | 16h30

Segundo a Cimpor, a Camargo mostrou-se convicta de que os altos interesses da Cimpor e dos seus acionistas prevalecerão na "busca de soluções de crescimento e afirmação do Grupo Cimpor". A empresa também manifestou sua vontade de fazer esforços para ser "integrante da solução que venha a ser encontrada", sinalizando que continua interessada no negócio.

A decisão da Camargo foi tomada após a CMVM determinar que a empresa fizesse uma oferta pública de ações (OPA) concorrente à da CSN ou então retirasse a proposta de fusão. No último dia 20, a Agência Estado noticiou que, segundo uma fonte próxima às negociações, a Camargo estava mais inclinada a buscar outras alternativas para evitar a oferta pública concorrente, como comprar uma participação minoritária da Cimpor, abandonando a proposta de fusão. A empresa também considerava esperar a conclusão da OPA da CSN para retomar sua proposta na sequência, caso a siderúrgica fosse mal sucedida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.