Câmbio ajuda Braskem a reverter prejuízo no 3º trimestre

Petroquímica registrou lucro líquido de R$ 645 milhões no período, guiada também por melhora operacional

REUTERS

03 de novembro de 2009 | 11h30

A maior petroquímica da América Latina, Braskem, reverteu prejuízo do terceiro trimestre do ano passado apoiada pela desvalorização do dólar sobre o real nos três meses encerrados em setembro. A empresa teve lucro líquido de R$ 645 milhões, guiada também por melhora operacional.  O resultado se compara à perda de R$ 819 milhões um ano antes e a lucro de R$ 1,156 bilhão no segundo trimestre, em que "a valorização do real foi de 16% frente aos 9% do terceiro trimestre", informa a empresa.

Com isso, o resultado financeiro da empresa, que há um ano havia sido negativo em R$ 1,6 bilhão, encerrou o terceiro trimestre positivo em R$ 243 milhões. A variação cambial gerou ganho de R$ 636 milhões no trimestre, contra despesa de R$ 1,33 bilhão no terceiro trimestre de 2008.

A geração de caixa medida pelo Ebitda ficou em R$ 838 milhões de julho a setembro, frente a R$ 726 milhões no mesmo intervalo de 2008. A margem nesse período passou de 14,2% para 20,7%.

As vendas totais de resinas cresceram 11%  na comparação anual, para 843,72 mil toneladas. Enquanto isso, a produção avançou 5%, para 857,3 mil toneladas.

A Braskem teve receita líquida de R$ 4,05 bilhões no terceiro trimestre, queda de 21% sobre igual período de 2008. Em dólares, o faturamento líquido de R$ 2,2 bilhões equivale a queda de 29%, afetado por menores preços no mercado internacional.

"O momento da indústria continua a exigir cautela e austeridade para superar os desafios do ciclo de baixa que se anuncia para 2010 e 2011", afirma a empresa no relatório do resultado.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBRASKEMRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.