JONNE RORIZ/ESTADÃO - 7/12/2007
JONNE RORIZ/ESTADÃO - 7/12/2007

Campanha de negociação oferece isenção de juros para clientes em atraso nas contas de luz

Grupo Energisa afirma ter a expectativa de atender 85 mil clientes em nove Estados com a iniciativa

O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2017 | 17h43

Os clientes do grupo Energisa poderão negociar dívidas nas contas de energia com condições especiais como isenção de juros, multa e correção ou parcelamento das dívidas. O grupo iniciou este mês uma campanha nacional de negociação de débitos a fim de reduzir os índices de inadimplência entre seus clientes.

A iniciativa mobiliza todas as nove concessionárias do grupo em todo o Brasil. “Com as condições oferecidas, temos a expectativa de atender cerca de 85 mil pessoas, que devem aproveitar os descontos e isenções de taxas para que possam regularizar a situação”, afirma Cleyson Jacomini de Sousa, diretor Comercial Corporativo do Grupo Energisa.

++Aneel anuncia que contas de dezembro terão bandeira vermelha no patamar 1

Para o diretor, fatores externos como a crise econômica, por exemplo, podem ter contribuído para o aumento da inadimplência entre consumidores. “O mercado inteiro tem sofrido com a inadimplência, e nós temos uma preocupação específica: vai chegando o verão e existe uma tendência da elevação do consumo. Uma de nossas estratégias é evitar que o cliente entre no período em que consome mais com contas em atraso”, disse.

Os consumidores de baixa tensão (127, 220, 380 ou 440 volts) atendidos pelo grupo em suas áreas de concessão (Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo e Paraná) que estejam com atraso de duas ou mais contas de energia poderão quitar seus débitos com condições especiais de negociação.

++Tarifa branca entra em vigor no ano que vem e pode reduzir a conta de luz

O executivo destaca ainda que a tarifa de energia elétrica considera uma provisão para a inadimplência, ou seja, o cliente que quita a conta sempre em dia paga pelo inadimplente.

“É uma regra da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A inadimplência acaba impactando os demais clientes, porque existe uma perspectiva de custo da distribuidora, e no momento que essa provisão eleva muito, corremos o risco de impactar. Nosso objetivo é justamente este, de evitar que isso seja repassado (ao cliente adimplente)”, ressaltou.

Isenção. Entre as condições especiais de negociação, a Energisa oferece isenção de juros, multa e correção para pagamento à vista; ou isenção de juros e correção, além de pagamento de multa de 2%, para pagamento parcelado em três meses, sendo primeira parcela à vista. 

++União não tem recursos para resolver o déficit de infraestrutura do País, diz Dyogo

O consumidor ainda pode optar por pagamentos divididos em 6 meses, com entrada à vista, mas sem isenção de juros, multa ou correção até a data da repactuação, e parcelamento com juros de 0,5% ao mês. Para pagamento parcelado em 12 meses, com a primeira parcela à vista, também não há isenção de juros, multa ou correção até a data da repactuação, e os juros são de 1% ao mês.

A campanha de negociação atende clientes faturados em baixa tensão, das classes Residencial, Industrial, Comercial e Rural. Vale lembrar que somente o titular da conta de luz pode fazer a negociação, tendo em mãos seus documentos pessoais, CPF e RG.

As negociações podem ser feitas até o dia 29 de dezembro de 2017, por meio do link da empresa Após acessar o site, basta clicar no banner da campanha, que levará para uma página com informações completas e com o espaço “Agência Virtual”, onde as negociações podem ser realizadas. A opção do pagamento online está disponível para todas as unidades, com exceção da Energisa Mato Grosso do Sul.

Para os clientes que optarem por fazer a negociação pessoalmente, basta ir a uma das agências de atendimento da Energisa em todas as concessões. O endereço da agência de atendimento mais próxima e seu horário de funcionamento podem ser conferidos neste endereço.

Os consumidores também podem entrar em contato para mais informações pelo Facebook, Twitter, Agências e Call Center de cada unidade. / AGÊNCIA BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.