Cana: Tereos quer ampliar alianças e produção no Brasil

Olímpia, 27 - O presidente do Tereos, Philippe Duval, afirmou hoje que o grupo de empresas com capital majoritário francês pretende ampliar sua produção em 10% ao ano nas unidades brasileiras e ainda reforçar sua aliança no País, citando especificamente o Grupo Cosan. Com faturamento anual de 1,7 bilhão de euros, a Tereos surgiu a partir da fusão da Béghin-Say e da Union DAS e controla no Brasil a Açúcar Guarani S.A., cuja unidade Cruz Alta, em Olímpia (SP), teve sua obra de duplicação da capacidade de processamento inaugurada hoje. Ainda no Brasil, o grupo Tereos é sócio da Cosan na empresa Franco Brasileira de Açúcar (FBA), que controla as usinas Ipaussu, Univalem e Gasa. "Por isso, nossa intenção é ampliar cada vez mais a união estratégica que temos hoje no Brasil, ou seja, com o grupo Cosan.", disse Duval após a cerimônia, na unidade da Guarani em Olímpia (SP). O presidente do Grupo Tereos disse que a meta é processar 8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2004/05 nas duas unidades da Guarani - além da Olímpia, o grupo possui uma usina em Severínia (SP) - e na participação proporcional da FBA. "Nossos planos incluem aumentar a produção para 10 milhões de toneladas em um curto prazo e crescer de 10% a 15% ao ano no processamento, e investimentos anuais de R$ 30 milhões em modernização", avaliou Duval. O presidente do Tereos afirmou, ainda, que o grupo pretende exportar o álcool produzido no Brasil para a Europa, desde que sejam definidas as cotas em um possível acordo União Européia-Mercosul. "Podemos até mesmo produzir o combustível na França, mas ainda estamos avaliando", disse Duval. Com a duplicação de sua capacidade de processamento, a unidade Cruz Alta da Guarani passará a ter uma capacidade de moagem de 4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e irá processar 2,7 milhões já nesta safra, ante 1,9 milhão em 2003/2004. Foram investidos R$ 118 milhões na obra e na compra de equipamentos e gerados 528 empregos diretos. A unidade irá produzir 34 milhões de litros de álcool com a inauguração da nova destilaria e 310 mil toneladas de açúcar em 2004/2005. Somadas, as duas unidades da Guarani irão produzir 79 milhões de litros de álcool e 486 mil toneladas de açúcar, sendo 134,5 mil toneladas exportadas em 2004/2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.