Captações de renda fixa de empresas brasileiras caem 36,5% em agosto, diz Anbima

As captações de recursos feitas por empresas brasileiras no mercado doméstico de renda fixa recuaram em agosto e o prazo médio das operações caiu, informou nesta segunda-feira a entidade que representa as instituições financeiras, Anbima.

REUTERS

08 de setembro de 2014 | 12h43

O montante levantando somou 3,5 bilhões de reais, ante 5,56 bilhões de reais em agosto de 2013. Mais de metade do volume captado, 1,8 bilhão de reais, veio com instrumentos de curto prazo, como notas promissórias.

"Tanto a desaceleração como o encurtamento de prazos podem ser atribuídos, em parte, ao cenário de incerteza que tem caracterizado a economia local nos últimos meses", afirmou a Anbima, em nota.

No acumulado do ano, as captações domésticas alcançaram 90,35 bilhões de reais, alta de 9,4 por cento ante mesmo período de 2013, mas as notas promissórias cresceram 47,3 por cento, reforçando a tendência de encurtamento dos prazos.

(Por Aluísio Alves)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASCAPTACOESAGOSTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.