Carga de energia no Brasil não cresce em agosto com atividade industrial reduzida

O Nordeste foi a região que apresentou o maior crescimento do consumo de carga no mês

REUTERS

05 de setembro de 2014 | 12h08

A carga de energia no sistema elétrico brasileiro em agosto ficou estável em relação ao mesmo mês de 2013, principalmente diante do ritmo reduzido da atividade industrial, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta sexta-feira.

O consumo de carga de energia do país em agosto somou 62.700 megawatts médios. Na comparação com julho, a carga subiu 2,6 por cento. No acumulado de 12 meses, o crescimento é de 4,2 por cento.

O Nordeste foi a região que apresentou o maior crescimento do consumo de carga em agosto, na comparação anual, a 3,3 por cento. No Sul, a alta foi de 2,4 por cento, na mesma base de comparação.

Esses crescimentos, no entanto, foram anulados por reduções de 1,1 por cento e 1,4 por cento nas cargas do Norte e Sudeste/Centro Oeste, respectivamente.

A indústria, cuja atividade está reduzida nesse ano, têm grande participação no consumo de carga na região Sudeste.

Já no Norte, a queda pode ser atribuída ao desempenho de grandes consumidores de energia eletrointensivos da região, principalmente metalúrgicos voltados para o setor de commodities, que detêm participação de cerca de um terço da carga desse sistema.

(Por Anna Flávia Rochas)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAONSCARGA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.