Cargill compra controle da Seara Alimentos por cerca de US$ 130 mi

São Paulo, 1 - A Cargill Agrícola oficializou hoje por meio de fato relevante a compra da Seara Alimentos, que era alvo de constantes rumores de aquisição. A Cargill pagará cerca de US$ 130 milhões pelo controle da empresa, que envolve um total de 52.356.040.791 ações, equivalentes a 61,89% do capital total da companhia - 45.921.542.800 ordinárias (74,43% do capital votante) e 6.434.497.991 preferenciais (28,10% do capital preferencial). A Cargill pagará US$ 2,482809 por lote de mil ações do controle da Seara, sejam elas ordinárias ou preferenciais. A previsão é de que a conclusão do negócio ocorra em 16 de fevereiro de 2005 ou 30 dias após a data de publicação do edital de oferta pública, "o que ocorrer primeiro, podendo ainda sofrer de antecipação, a critério da Cargill, mediante aviso prévio de 10 dias aos acionistas controladores", segundo o fato relevante. O fechamento do negócio está sujeito ao recebimento de todas as aprovações de forma incondicional das autoridades antitruste da Comissão Européia e da República da África do Sul necessárias à aquisição do controle pela Cargill, em razão de sua atuação nesses mercados. Além disso, a conclusão da transação também está ligada à inexistência de indícios da presença do vírus Avian Influenza, da gripe aviária, em território brasileiro até a data de recebimento das aprovações antitruste. As ações da Seara a serem adquiridas pela Cargill pertencem atualmente à Bevrachtings Expedite-En Assurantiekantoor Bevrexas B.V, com a maior fatia do total, de 59,55% do capital total da companhia. Além disso, a Bunge Alimentos e os executivos da Seara também venderão sua participação na empresa, sendo eles: José Julio Cardoso, Pedro Benur Bohrer, Sérgio Sabino da Silva, Sérgio Roberto Waldrich, Ivo Dreher, Arene Trevisan, Luiz Pedro Bertuol, Paulo Fernando Tramontini, Clever Pirola Ávila, Cláudio Vicente Marcon Junior e Aroldo Manoel Vieira.

Agencia Estado,

01 de setembro de 2004 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.