Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Cargill e Usina São João concluem formação de parceria

A Cargill e o Grupo Usina São João anunciaram hoje a conclusão do processo de criação da joint venture (parceria) que terá o nome de SJC Bioenergia. A joint reúne os ativos industriais do Grupo USJ no Estado de Goiás, representados pelas Usinas São Francisco, em operação desde 2007, na cidade de Quirinópolis, e a Usina Cachoeira Dourada, em construção, no município de mesmo nome.

EDUARDO MAGOSSI, Agencia Estado

19 de setembro de 2011 | 12h41

A joint atingirá capacidade de processamento de até 7,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar em 2013/14, quando a usina de Cachoeira Dourada entrar em operação. Na safra atual, o processamento da empresa ficará em 5 milhões de toneladas de cana, que resultam em 170 milhões de litros de etanol, 420 mil toneladas de açúcar e 350.000 megawatts (MW) por ano de energia.

A SJC Bioenergia terá gestão compartilhada, com participação de 50% para cada um dos sócios. A joint venture passa a ser a sucessora dos contratos de fornecimento de cana-de-açúcar mantidos com produtores da região e que abastecem as usinas. Além da produção de açúcar e etanol, a SJC Bioenergia vai gerar energia elétrica a partir de bagaço de cana, com capacidade para suprir sua própria demanda e ainda destinar os 2/3 excedentes ao sistema nacional de energia elétrica.

Segundo o diretor responsável pela SJC, Ingo Kalder, quando a moagem atingir 7,5 milhões de toneladas de cana, a produção de etanol crescerá 200 milhões de litros e a de energia elétrica aumentará 200.000 MW.

Tudo o que sabemos sobre:
CargillUsina São Joãojoint venture

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.