Carl Icahn aumenta participação na Apple

O investidor bilionário Carl Icahn aumentou sua participação na Apple em cerca de 22%, para 4,73 milhões de ações, e pressionou por uma recompra de ações de US$ 150 bilhões. Em uma carta enviada ao presidente da Apple, Tim Cook, Icahn sugeriu que a empresa faça uma recompra de ações e prometeu que não venderá papéis para lucrar com a operação.

Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 13h50

Segundo Icahn, uma possível recompra poderia empurrar as ações para US$ 1.250 cada uma em um período de três anos. O investidor também disse que pretende continuar aumentando sua participação na Apple. "Não há nada de curto prazo sobre as minhas intenções na Apple", disse.

Na carta, Icahn faz referência a um jantar com Tim Cook em setembro, onde criticou a subvalorização das ações da Apple. "Tivemos o prazer de ouvir em nosso jantar que você (Tim Cook) apreciou nossa oferta e que falaríamos sobre isso após três semanas", escreveu Icahn. "Queremos reiterar nossa proposta com a esperança de que seja aceita".

Icahn também ressaltou que a oferta não serve apenas para aumentar seus investimentos, mas para colaborar com os demais acionistas. "Começando esta recompra imediatamente, isso resultaria em uma valorização de 140% para cada acionista que não optar vender seus papéis", apostou. Por fim, o bilionário fez um ultimato a Tim Cook: "O momento para a nossa proposta de recompra é maduro, mas a oportunidade não durará para sempre". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
AppleCarl Icahnparticipação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.