Carl Icahn eleva oferta pela Clorox para US$ 10,7 bi

Proposta anterior do bilionário norte-americano pela fabricante de produtos de limpeza era de US$ 10,2 bilhões

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

20 de julho de 2011 | 15h34

O bilionário investidor Carl Icahn elevou sua oferta para comprar a norte-americana Clorox para US$ 80 por ação, avaliando a fabricante de produtos de limpeza em US$ 10,7 bilhões, com base no número de ações em circulação da companhia, segundo um documento enviado à Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM dos EUA). A proposta anterior era de US$ 76,50 por ação, ou US$ 10,2 bilhões.

Às 15h28 (de Brasília), as ações da Clorox subiam 2,95% em Nova York.

Icahn também intensificou seu tom em relação ao conselho da Clorox depois que a sua batalha para comprar a empresa se tornou incrivelmente hostil. O investidor acusou a Clorox de adotar uma postura que "parece um pouco absurda" e alertou que os acionistas poderão correr um risco ao apostarem no plano estratégico da companhia para navegar no ambiente turbulento atual.

O bilionário também procurou firmar a sua credibilidade, oferecendo-se para colocar US$ 6,2 bilhões em depósito, se a Clorox aceitar a oferta, e propôs colocar sua proposta ou a de um concorrente, caso essa seja apresentada, à votação dos acionistas.

A Clorox afirmou que avaliará a nova oferta "no devido tempo". Na segunda-feira, a companhia rejeitou a proposta inicial de Icahn, afirmando que ela não era "crível nem adequada". A Clorox também adotou medidas de proteção aos direitos dos acionistas para impedir que Icahn aumente sua participação de 9,4% na companhia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Carl IcahnCloroxprodutos de limpeza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.