Carlos Slim passa Bill Gates na lista dos homens mais ricos do mundo

Fortuna do mexicano subiu para US$ 79,6 bilhões no ranking da 'Forbes' graças à valorização das ações da América Móvil; Gates tem US$ 79,1 bilhões

Economia & Negócios

16 Julho 2014 | 16h59

O magnata mexicano Carlos Slim é de novo o homem mais rico do mundo, segundo ranking da revista Forbes. O empresário passou o cofundador da Microsoft Bill Gates graças ao aumento no valor de ações da gigante de telecomunicações América Móvil nos mercados financeiros dos Estados Unidos e México.

A ultrapassagem aconteceu na terça-feira, quando o valor de mercado da América Móvil subiu 1% (ou US$ 805,6 milhões). Com isso, a fortuna estimada do mexicano subiu para US$ 79,6 bilhões, contra um patrimônio de US$ 79,1 bilhões de Gates, informa a revista.

O valor de mercado da América Móvil tem sido beneficiado desde que a companhia anunciou um plano de desinvestimento para atender às novas regras antitruste - o México quer reduzir a concentração do setor. Atualmente,  a América Móvil, dona da Telmex, privatizada em 1990 e comprada por Slim, detém 70% da telefonia fixa e móvel do país.  

Slim havia caído do topo da Forbes em maio de 2013, também por causa das oscilações no mercado financeiro. À época, os investidores estavam apreensivos com efeito que as novas leis antitruste do México poderiam provocar. Agora, os investidores parecem ter digerido melhor a notícia. O mexicano planeja, em contrapartida ao plano de vender alguns ativos, aumentar a presença da América Móvil na Europa e América Latina.

A América Móvil anunciou na segunda-feira que assumiria o controle de pouco mais da metade da Telekom Austria em uma oferta de compra de US$ 1 bilhão, dando ao bilionário mexicano uma base para construir sua presença nas operadoras de telecomunicações europeias.

Gates e Slim têm se revezado no topo da lista. Em março desse ano, quando a Forbes anunciou a lista referente ao ano de 2014, o americano aparecia na liderança com uma fortuna de US$ 76 bilhões, contra R$ 72 bilhões do mexicano. Agora, os postos se inverteram mais uma vez.

Mais conteúdo sobre:
carlos slimbill gatesforbes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.