Soraya Ursine/Estadão
Soraya Ursine/Estadão

Carnaval do Rio e futebol feminino trazem Leões de ouro para o Brasil em Cannes

Em dia de bons resultados, VMLY&R também trouxe para casa ouros em duas categorias; total de Leões do Brasil subiu para 27 nesta terça-feira, 21

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2022 | 16h00

CANNES – Em um dia de bons resultados, o Brasil trouxe mais cinco Leões de ouro no Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade para campanhas que, de uma forma ou de outra, utilizaram elementos brasileiros, como o carnaval do Rio de Janeiro, a seleção feminina do futebol e o debate sobre o meio ambiente. Com os resultados desta terça-feira, 21, o total de Leões do Brasil saltou para 27, com a revelação dos resultados em mais sete categorias. O Estadão é o representante oficial do festival no Brasil.

Um dos principais destaques foi a nova marca do Carnaval do Rio, criado pela agência Tátil – conhecida por ter desenvolvido a marca da Olimpíada de 2016 e também pelas cerimônias de abertura das Paralimpíadas daquele ano –, que recebeu ouros em duas categorias diferentes: Industry Craft e Design. Presente ao festival, Fred Gelli, fundador da Tátil, disse ao Estadão que a ideia do projeto foi “levar o carnaval carioca para o mundo”.

Depois dos desfiles na Marquês de Sapucaí terem sido cancelados por dois anos, por causa da pandemia de covid-19, a festa decidiu se reinventar, como uma forma de lembrar o mundo do poder do carnaval. “Como se diz, é o maior espetáculo da Terra, são 12 óperas feitas pelo povo e para o povo, que são colocadas na avenida apenas no grupo especial”, disse o designer e publicitário. “Esperamos que realmente possamos ajudar o Rio e o carnaval, num momento em que a imagem do Brasil está tão ruim no exterior.”

O processo de criação da nova marca do carnaval carioca, conta Gelli, envolveu nada menos do que 7 mil entrevistas com sambistas, gente da comunidade e amantes da festa de forma geral. “E um ícone apareceu como símbolo: a bandeira da porta-bandeira. Foi esse movimento que a gente trouxe para a marca, que se adapta e muda de acordo com as cores de cada umas das escolas”, conta. O trabalho já ganhou outros prêmios relevantes, como o DAAD, de design.

Também vencedora de dois Leões de ouro – em Entertainment e Entertainment Lions for Sport – foi uma campanha desenvolvida pela agência VMLY&R para o Greenpeace. Com o uso do metaverso, a agência criou uma experiência imersiva na cidade de Los Santos, uma réplica virtual de Los Angeles. A campanha mostra, de forma clara, os efeitos de um aumento na temperatura global nessa cidade fictícia, deixando claro que os problemas hoje vistos na tela podem, em breve, se tornar reais.

Seleção feminina de futebol

Mas os ouros não pararam por aí. Também em Entertainment Lions for Sport, a agência independente Soko trouxe para casa um prêmio para a campanha “Presos nos anos 80”, que chamou a atenção para o fato de que os prêmios atuais oferecidos à seleção brasileira feminina de futebol são equivalentes aos que eram dados aos jogadores homens no início dos anos 1980. A ativação foi feita pelo Guarana Antartica, que há cinco anos patrocina o time feminino nacional.

“Na Olimpíada (de 2020, realizada em 2021), o resultado de relações públicas acabou sendo três vezes maior do que o da Coca-Cola, que era patrocinadora oficial, por causa desse trabalho”, disse Felipe Simi, fundador da Soko. “E a campanha gerou um projeto de lei, que foi aprovado pela Câmara, mas ainda depende de sanção presidencial, para que os prêmios sejam equivalentes”, disse. Simi disse ainda que o trabalho com a seleção feminina ajuda a “refletir a questão da disparidade de gênero como um todo no Brasil”.

Mais prêmios do dia

Em Entertainment Lions for Sport, além dos dois ouros para VML e Soko, o Brasil ainda trouxe para casa uma prata para Africa/Brahma e três bronzes: Africa/Budweiser, Mirum/DirecTV e TracyLocke/Centauro. Em Entertainment Lions, houve ainda uma prata, também para VMLY&R/Greenpeace.

Em Design, além do ouro, o País ainda ganhou um Bronze para AlmapBBDO/CNN. Em Entertainment Lions for Music, vieram duas pratas: Akqa/Nego Bala e Gut/Mercado Livre. Em Digital Craft, o País trouxe um bronze: FCB/Revista Raça. Entre as categorias anunciadas nesta terça-feira, o Brasil só não ficou de fora em Film Craft.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.