Carnes: após visita, técnicos russos vão elaborar relatório

Brasília, 29 - Veterinários russos que estiveram no País nas últimas duas semanas vão elaborar, nos próximos dias, relatório sobre a situação sanitária do rebanho do País, informou o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Maçao Tadano. O secretário reuniu-se com dois técnicos da Rússia na sexta-feira, em Belém. "A expectativa do governo brasileiro por uma resposta é muito grande, mas eles não estabeleceram prazos para a conclusão do relatório", comentou. Ao propor a visita, o governo brasileiro pedia o fim do embargo de Moscou à carne brasileira, suspensão que vigora desde 21 de setembro. A restrição comercial foi determinada depois que foi detectado um foco de febre aftosa - o segundo do ano - na região de Careiro da Várzea, a 26 quilômetros de Manaus. O Estado não tem autorização para exportar carne, mas, mesmo assim, a Rússia suspendeu as compras. Poucos dias antes da chegada do presidente Vladimir Putin ao Brasil, a Rússia suspendeu parcialmente o embargo e permitiu as vendas de carne de Santa Catarina. O roteiro da missão técnica da Rússia pelo País foi extenso. Os russos estiveram em São Paulo, no Paraná e na divisa entre Tocantins e Pará, onde visitaram a região de Couto Magalhães, em Tocantins, e de Itaituba, no Pará, classificada pelo governo como "zona tampão". O procedimento é adotado para isolar áreas reconhecidas como livre da aftosa de regiões infectadas. Na semana passada, o grupo esteve ainda no Centro Panamericano de Febre Aftosa (Panaftosa), no Rio de Janeiro, e na região do foco de Careiro da Várzea. Na reunião final, em Belém, a missão disse estar satisfeita com as informações obtidas. "Eles deram por satisfeitos em relação às dúvidas", comentou o secretário. Tadano comentou ainda que o ministério pediu à Embaixada do Brasil na Rússia atenção especial para o assunto. A secretaria quer ser avisada de qualquer novo questionamento por parte da Rússia. "Nossa expectativa é muito grande, pois a Rússia é um mercado importante", comentou. Acordo fechado entre os governos dos dois países permitiu a entrega dos lotes contratados anteriormente ao dia 21. Dados divulgados pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) mostram que a Rússia foi o principal destino das exportações brasileiras de carnes no acumulado do ano até outubro. No período, a Rússia comprou 127,2 mil toneladas de carne bovina "in natura" do Brasil, com receita cambial de US$ 196 milhões. De acordo com a CNA, a Rússia representou 12% das receitas de exportação de carne no período e 17% do volume embarcado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.