Carrefour divulga lucro estável e cisão de ativos imobiliários

Companhia passará a ser listada em bolsa em 2008; lucro no primeiro semestre foi de US$ 1,009 bilhões

NOELLE MENNELLA, REUTERS

30 de agosto de 2007 | 09h57

O grupo francês de supermercados Carrefour divulgou nesta quinta-feira resultado semestral melhor que o esperado e informou que vai separar da empresa 60% de seus ativos imobiliários. A unidade passará a ser uma companhia listada em bolsa em 2008, de acordo com os planos.  "Planejamos abrir mão de uma parte do capital nesse negócio... para investidores externos", informou o Carrefour em comunicado.  A cisão dos bens imobiliários e a venda de outros ativos deverá permitir ao Carrefour fazer programas de recompra de ações de 4,5 bilhões de euros (US$ 6,13 bilhões).  Um primeiro programa desse tipo avaliado em 800 milhões de euros (US$ 1,09, bilhões) será colocado em votação por acionistas no ano que vem, após a recente venda de negócios do grupo em Portugal e na Suíça.  As ações do Carrefour operavam em alta de 0,7%, depois de terem avançado 4% no início do pregão na Bolsa de Paris.  O anúncio do Carrefour surge cinco meses depois que o homem mais rico da França, Bernard Arnault, e o grupo de investimentos Colony Capital ganharam cadeiras no Conselho da empresa após comprarem uma participação de 9,1% na companhia.  A entrada de Arnault e da Colony no Conselho gerou discussões sobre a possibilidade do Carrefour assumir uma estratégia mais ativa na administração de seus imóveis, estimados entre 20 bilhões e 24 bilhões de euros. O Carrefour, contudo, informa que seus imóveis têm um valor contabilizado pela empresa de 11 bilhões de euros (cerca de US$ 15 bilhões).  O Carrefour teve lucro líquido de 741 milhões de euros (US$ 1,009 bilhões) no primeiro semestre, alta de 0,1%. O resultado superou expectativas do mercado e a companhia aproveitou para reafirmar que espera que as vendas cresçam em 2007 mais do que no ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOCARREFOURRESULTS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.