Embraer/Divulgação
Embraer/Divulgação

‘Carro voador’ da Eve, da Embraer, vai custar US$ 3 milhões, diz executivo

Companhia estima que 20% de sua receita virão de serviços de manutenção; previsão é de faturamento de US$ 1,1 bilhão em 2027

Juliana Estigarríbia, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2022 | 13h23

O diretor financeiro da Eve, Eduardo Couto, disse nesta sexta-feira, 25, que o preço de lista do veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL, na sigla em inglês) da companhia será de US$ 3 milhões sem, entretanto, conceder mais detalhes. As declarações foram dadas durante o Eve Investors Day.

Couto acrescentou que somente a área de serviço e suporte deve representar cerca de 20% da receita da Eve nos primeiros anos de operação. A companhia estima atingir receita total de US$ 1,1 bilhão em 2027 e, em 2030, US$ 4,5 bilhões.

Segundo o executivo, os parceiros da companhia poderão vender passagens a US$ 100. “Com lucro e operando 3 a 4 horas por dia”, afirmou durante o evento Eve Investor Day.

Couto observou ainda que a empresa já entregou os documentos relacionados ao processo de abertura de capital na Bolsa de Nova York. “Estamos confiantes nos nossos parceiros e no cronograma para concluir o IPO no segundo trimestre deste ano.”

Em sua visão, o ambiente de preços elevados do combustível coloca a eletrificação em destaque, o que deve favorecer o segmento de mobilidade aérea urbana.

Potencial

No mesmo evento, o CEO da Zanite, Kenn Ricci disse que a companhia teve "centenas de oportunidades" para investir, mas escolheu a startup da Embraer. A Zanite é uma Spac (companhia de aquisição com propósito específico, na sigla em inglês) que fará uma fusão com a Eve no primeiro semestre deste ano.

"Tivemos centenas de oportunidades (para investir), conversamos com pelo menos uma dúzia de empresas. A EVE foi a melhor, com um (produto) de design simples. Isso significa que não é complicado para produzir e certificar. Com isso, o custo operacional será menor e mais atrativo para o mercado", afirmou.

Ele acrescentou que a grande preocupação da Zanite sempre foi a produção dos veículos elétricos de decolagem e pouso vertical (eVTOLs, na sigla em inglês). "Um design exótico e bonito precisa, no final das contas, ser produzido", disse. "Só a EVE tem a plataforma para produzir o eVTOL, e este mercado será enorme.”

Tudo o que sabemos sobre:
Embraercarro voadorEve Air Mobility

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.