Carros ‘online’ serão maioria em 2020, diz estudo

Um estudo da divisão global da Telefónica estima que 90% dos carros estarão conectados à internet em 2020. A previsão sugere que a incorporação da conectividade deve ser acelerada nos próximos anos, uma vez que atualmente apenas 10% dos veículos estão ligados à rede.

CAMILO ROCHA, Agencia Estado

05 de julho de 2013 | 09h13

O estudo Connected Car Industry 2013 diz que esse mercado hoje consiste basicamente de dispositivos ?aftermarket? (que não vêm de fábrica). Os próximos anos devem ver uma ?mudança significativa?, com o aumento expressivo do número de carros com plataformas conectadas de fábrica. A projeção foi feita pela empresa de pesquisa Máchina.

O levantamento diz que o mercado de comunicação entre dispositivos no setor automotivo pode gerar US$ 422 bilhões em 2022, um salto em relação aos US$ 22 bilhões atuais. Em 2022, prevê o estudo, haverá 1,8 bilhão de conexões automotivas, incluindo 700 milhões de carros conectados e 1,1 bilhão de dispositivos ?aftermarket? como aparelhos de GPS e localizadores de veículos.

Entre os desafios citados estão as diferenças entre os ciclos da indústria de celular e a de carros. Na primeira, novidades como atualizações de sistema e novos aplicativos ocorrem regularmente. Já os fabricantes de carros trabalham com ciclos de cinco anos, diz o estudo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
veículosconcectividadeestudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.