Felipe Tau/AE
Felipe Tau/AE

Casas Bahia avança no Nordeste com abertura de lojas no Ceará

Segundo Michael Klein, companhia deve avançar também para Pernambuco e Alagoas, além de cidades no interior da Bahia

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

22 de novembro de 2011 | 17h48

A rede varejista Casas Bahia chega nesta quarta-feira, 23, ao Ceará com a abertura de suas duas primeiras lojas no Estado. Com investimentos de R$ 7 milhões, uma das unidades será de rua, na região central de Fortaleza, e a outra no Shopping Center Um, também na capital do estado. "Hoje, antes mesmo de abrirmos a loja, os consumidores começaram a formar filas em frente às lojas", comentou Michael Klein, presidente do conselho de administração da Globex, empresa controladora das marcas Casas Bahia e Ponto Frio. Segundo ele, a rede já é conhecida no Ceará, há pelo menos dez anos, em razão das propagandas na mídia eletrônica de veiculação nacional.

A expectativa de Klein é avaliar o desempenho das lojas da Casas Bahia no Ceará para programar as novas inaugurações da rede no Estado. Segundo o executivo, para o primeiro trimestre de 2012, outras três unidades estão previstas, com as obras de construção já em andamento. Para o segundo semestre do próximo ano há tratativas para a abertura de outras três lojas, desta vez na região metropolitana de Fortaleza. Klein destacou que a empresa realizou pesquisas com os consumidores, onde foi constatado que o nome Casas Bahia é o preferido na região, mesmo entre as classes de renda mais alta.

A empresa ingressou no mercado nordestino há cerca de dois anos, com a abertura de lojas no Estado da Bahia. Na sequência, a empresa abriu lojas em Sergipe. Segundo Klein, o cronograma da companhia é avançar agora para Pernambuco e Alagoas, além de cidades no interior da Bahia, entre as quais Juazeiro, Barreiras, Teixeira de Freitas, Ilhéus, Porto Seguro, Vitória da Conquista. Outra grande praça na Bahia, em Feira de Santana, a empresa já conta com três lojas.

Tudo o que sabemos sobre:
casas bahianordeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.