Stephane Mahe/Reuters
Stephane Mahe/Reuters

Casino, controlador do GPA, estende vencimentos e melhora condições de dívida

Acordo melhora a situação da companhia, que corria o risco de ter de vender ativos em um espaço mais curto de tempo para cumprir seus compromissos

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2021 | 17h08

O Grupo Casino, controlador do GPA e do Assaí, anunciou que estendeu o vencimento e melhorou as condições financeiras de sua principal linha de crédito sindicalizado na França.

As alterações, segundo a companhia, preveem a extensão do vencimento de linha de crédito de outubro de 2023 para julho de 2026, no valor de 1,8 bilhões de euros; revisão das garantias, em linha com a melhoria das condições financeiras do grupo; e a diminuição no custo de utilização dos recursos.

O grupo anunciou ainda a renovação da linha de crédito sindicalizada de sua rede de lojas Monoprix, sendo o novo valor de 105 milhões de euros, podendo ser ampliado para 130 milhões de euros. O vencimento será em janeiro de 2026.

O valor das linhas de crédito do Grupo Casino efetivamente disponíveis chega agora a 2,2 bilhões de euros com um vencimento médio de 4,6 anos, mais do que o dobro dos 2,2 anos anteriores a essa repactuação.

O acordo melhora a situação da companhia, que corria o risco de ter de vender ativos em um espaço mais curto de tempo para cumprir com seus covenants (compromissos assumidos ao contrair dívidas) e ajudar a Rallye, holding que pediu salvaguarda na França no início de 2020.

“O movimento diminui a pressão do mercado sobre potenciais vendas de diversos ativos de que o Casino era controlador, com a intenção de cumprir seus covenants e ajudar a Rallye - holding por meio da qual Jean-Charles controla o Casino - a servir sua dívida. Isso porque agora o Casino passa a ter uma maior flexibilidade para cumprir seu plano de venda sem uma pressão grande tanto por parte do mercado, como por parte dos credores”, disse a Ativa Investimentos sobre o anúncio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.