'Catástrofe' do setor automotivo agora é global, diz Peugeot

Executivo da segunda maior montadora da Europa espera que as vendas do grupo despenquem 20 % em 2009

REUTERS

10 de fevereiro de 2009 | 08h20

A indústria de veículos foi vítima de uma catástrofe que se espalhou pelo mundo e mesmo por mercados emergentes importantes, que os fabricantes consideravam geradores de crescimento e agora tiveram seu movimento de alta interrompido, afirmou o diretor da Peugeot-Citroen, Christian Streiff.   Veja Também: De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à criseO executivo da segunda maior montadora de veículos da Europa em volume espera que as vendas do grupo despenquem 20 % em 2009 e vê mais problemas em 2010 por causa da persistência da crise que atinge o setor. "O que está acontecendo neste momento é uma catástrofe global na indústria de veículos porque o mercado brasileiro, o mercado chinês e o mercado russo pararam assim como o europeu. Isso vai gerar uma queda de mais de 20 por cento", afirmou Streiff à rádio RTL. Streiff fez o comentário logo depois de assinar acordo com o governo francês que fornecerá à montadora 3 bilhões de euros (3,87 bilhões de dólares) em financiamento. A rival francesa Renault também participou do acordo. "O cenário para 2009 é terrível. Estamos trabalhando com base na expectativa de que o mercado em 2010 continuará difícil", acrescentou Streiff à rádio RTL. A PSA Peugeot Citroen deve publicar os resultados de 2008 na quarta-feira. A expectativa média de 17 analisrtas consultados pela Reuters para a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) é de 5,78 bilhões de euros ante 7,89 bilhões de euros em 2007. Na segunda-feira, a França prometeu empréstimos para montadoras e afirmou que a PSA Peugeot Citroen e a Renault se comprometeram a manter empregos em troca.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSPEUGEOTVENDASCAEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.