Caterpillar compra MGE e ingressa em trens no Brasil

A Caterpillar anunciounesta terça-feira a compra da brasileira MGE Equipamentos &Serviços Ferroviários Ltda, fabricante de motores e outroscomponentes e serviços para locomotivas e trens, como parte doobjetivo de expandir sua divisão Progress Rail Services naAmérica do Sul. O acordo marca a primeira expansão da Progress Rail forados Estados Unidos, Canadá e México. A operação foi concluída na segunda-feira com a compra dascotas dos quatro sócios da MGE, disse Ronaldo Moriyama,diretor-geral da companhia, que continuará no cargo após aoperação, por telefone. A MGE foi fundada em 1991 e tem cercade 400 funcionários e as conversas com a Caterpillar já duravamcinco meses. "Esse mercado de serviços ferroviários tem crescidoprincipalmente após 1997, quando houve privatizações da partede carga por locomotiva... Hoje tem havido um grandeinvestimento para transporte de grãos, commodities nessa áreaferroviária de carga e também de passageiros", disse Moriyama. "Somente o Estado de São Paulo até 2010 vai investir 16bilhões de reais nessa área, e ainda se está falando em tremrápido entre Rio de Janeiro e São Paulo e há grandesexpectativas de investimento em transporte em Minas Gerais eSalvador." A MGE investiu em 2007 cerca de 2 milhões de dólares paraaumentar capacidade de produção e espera um aumento dessevolume a partir do acordo. Segundo o executivo, a Progress tem muitas locomotivasusadas nos Estados Unidos e elas podem ser modernizadas noBrasil, usando motores Caterpillar. Interessados nessasmáquinas poderiam então fazer leasing delas no Brasil e ConeSul, acelerando o prazo de entrega em relação a uma locomotivanova, disse o executivo. "Hoje uma nova locomotiva pode ser entregue em cerca de 14meses e uma usada pode estar rodando em 90 dias", disseMoriyama. (Reportagem de Nick Zieminski em Nova York e AlbertoAlerigi Jr. em São Paulo) REUTERS VS

REUTERS

24 de junho de 2008 | 11h42

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASCATERPILLARCOMPRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.