Cecafé pede critério para administrar baixa oferta de café em 2005

São Paulo, 10 - O diretor geral do Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), Guilherme Braga, disse há pouco que será preciso discernimento do governo e da iniciativa privada para administrar a baixa disponibilidade de café no ano que vem. Estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgada hoje, projeta produção em 2005 entre 30,9 milhões e 33 milhões de sacas de 60 kg (entre 20% e 14,5% a menos do que a atual safra, avaliada em 38,6 milhões de sacas). Braga comentou que a redução da produção pode implicar redução da exportação brasileira e perda de participação no mercado. Este ano, o Brasil deve embarcar cerca de 25,5 milhões de sacas, com faturamento próximo de US$ 2 bilhões. Uma alternativa é se valer dos estoques do produto. No entanto, "não se tem informações confiáveis sobre qual seria esse volume", lamentou. O diretor geral informou, ainda, que a queda na produção é motivo de preocupação, por causa da expectativa que se cria com a tendência de alta nos preços internacionais do produto. "É preciso melhorar a renda dos produtores, mas sem estimular novos plantios porque lá na frente já se sabe que a conseqüência é de um novo ciclo de baixa". "O Brasil já tem maturidade suficiente para evitar esse tipo de problema". "São velhas teses que entram em ação, como o intervencionismo", acrescentou.

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2004 | 17h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Será que o Pix é seguro? Veja dicas de especialistas
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.