Céleres: área plantada com milho na safra de verão cairá 2,7%

São Paulo, 4 - O plantio de milho na safra de verão deve recuar 2,7% no Brasil, atingindo 9,21 milhões de hectares. A projeção é da consultoria Céleres, de Uberlândia-MG. Entretanto, com base em um aumento de produtividade da ordem de 2%, a consultoria projeta a produção de milho de verão em 32,17 milhões de toneladas, queda de apenas 0,7% sobre 2003/04. Segundo a Céleres, há forte desestímulo para o plantio de milho no momento. Por um lado, os preços correntes do milho são considerados baixos pelos agricultores. Por outro, os custos de produção subiram na comparação com o ano passado. A região Centro-Oeste deverá ter queda de 6,5% no plantio de milho, a maior entre todas as regiões do país. A Céleres observa que o milho vem sendo negociado abaixo do preço mínimo no Mato Grosso e apenas um pouco acima do preço mínimo em Goiás e Mato Grosso do Sul. Como os custos subiram 30%, os agricultores devem preferir outros usos para a terra. Na Região Sul, maior pólo produtor do País, a queda de área de plantio deve ser de 2,9%. No Paraná, estima-se queda de 7%; em Santa Catarina, de 1%; e no Rio Grande do Sul, a área deve se manter intacta. No Sudeste, a área plantada deve recuar 3,4% para 2,01 milhões de hectares. Em Minas Gerais, a área recua 4,0%, e em São Paulo, 3,0%. A Céleres trabalha com um aumento de produtividade de 2% sobre a safra passada. A consultoria observa que a irregularidade climática neste início de primavera não comprometeu, ao menos por ora, o desempenho da próxima safra. Apesar de projetar uma leve redução na safra de verão, a Céleres estima que a produção total de milho no ano que vem deve atingir 43,16 milhões de toneladas, volume 3,5% superior ao da safra 2003/04. Para a consultoria, a safrinha 2004/05 pode contrabalançar o recuo na produção de verão. A Céleres estima que a área plantada da safrinha deve crescer 12,4% no ano que vem, atingindo 3,57 milhões de hectares. O motivo do aumento do plantio é o desinteresse do agricultor em plantar trigo, após a comercialização desfavorável deste segundo semestre. O trigo compete com o milho por área em estados fundamentais para a safrinha, caso do Paraná. A Céleres também acredita que o rendimento da próxima safra deva ser maior. A produtividade deve crescer 5,3% para 3.077 kg por hectare. Como resultado, a safrinha deve atingir 10,99 milhões de toneladas. Apesar do crescimento de produção, a Céleres acredita que os estoques finais de milho em 2004/05 serão de 3,052 milhões de toneladas, menores do que os 4,898 milhões de toneladas previstos para 2003/04. A consultoria projeta um aumento de 2,2% no consumo forrageiro de milho, principalmente da suinocultura e avicultura. O consumo animal ficaria, portanto, em 30,32 milhões de toneladas. Além disso, a consultoria acredita que o País deva exportar 5,8 milhões de toneladas do cereal, o mesmo volume que projeta para as exportações deste ano. A Céleres também ressalta que o abastecimento do mercado ficará fortemente dependente do desempenho da segunda safra de milho no ano que vem. Como resultado, o primeiro semestre poderá assistir a um movimento especulativo no comportamento dos preços. (segue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.