CEO da Fiat diz que combinação com Volkswagen nunca esteve na agenda

Sergio Marchionne, acabou com especulações de uma possível aliança com a alemã Volkswagen

REUTERS

23 de julho de 2014 | 10h57

O presidente-executivo da Fiat Chrysler, Sergio Marchionne, acabou com especulações de uma possível aliança com a alemã Volkswagen, dizendo que a ideia nunca esteve na agenda.

Uma revista alemã relatou no começo deste mês que o presidente do Conselho da Volkswagen, Ferdinand Piech, teria mantido conversas com os proprietários da Fiat Chrysler sobre a compra de todo ou de parte do grupo.

O chefe da holding Exor, que controla a Fiat Chrysler através de uma fatia de 30 por cento, John Elkann, disse no mesmo evento em que Marchionne estava que não tinha mais nada a acrescentar sobre o assunto.

A Fiat e a Exor já tinham negado a notícia da revista alemã, enquanto a Volkswagen disse que não tinha planos de aquisição.

Marchionne disse que ainda espera listar a Fiat Chrysler Automobiles em bolsa dos Estados Unidos nas primeiras duas semanas de outubro. Os acionistas da Fiat votarão sobre a fusão na semana que vem.

Ele disse que o grupo está olhando para todos os lugares para se expandir, mas particularmente a Ásia, onde vê a maioria das oportunidades de crescimento.

Questionado se o grupo está buscando mais combinações com montadoras asiáticas, Marchionne disse que consideraria cooperação apenas em projetos muito específicos, "mas não estamos com pressa".

(Por Agnieszka Flak e Gianni Montani)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSFIATSPAVOLKSWAGENNUNCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.