CEO da GM espera fechar venda da Opel até início de outubro

O presidente-executivo da General Motors, Fritz Henderson, espera que o acordo de venda de sua participação majoritária na Opel ao consórcio liderado por bancos russos e pela Magna possa ser fechado até o início do mês que vem.

CHRISTIAAN HETZNER, REUTERS

16 de setembro de 2009 | 16h48

"Estamos tentando fechar tudo até o começo de outubro", disse ele a jornalistas durante o Salão de Automóveis de Frankfurt, nesta quarta-feira.

Sobre os negócios da GM nos Estados Unidos, Henderson afirmou que a montadora espera atingir o ponto de equilíbrio no mercado norte-americano no ano que vem, e acrescentou que as vendas em varejo de setembro provavelmente serão "bem fracas", tanto para a GM quanto para a indústria como um todo, agora que o programa governamental de troca de carros chegou ao fim.

Henderson disse que havia ainda quatro questões a serem resolvidas com a Magna sobre o acordo de venda da Opel, como, por exemplo, de que forma implementar a compra conjunta, mas os assuntos são simples o suficiente para se estar muito confiante de que a venda será concluída até o final do ano.

"Por favor, não interprete errado e diga que há discórdia --e só que as prioridades das discussões foram divididas em quatro grandes temas, que são de grande complexidade", disse.

A GM planeja concluir a operação até o final de novembro, mas Henderson afirma que não descartaria a possibilidade de o plano se atrasar em até um mês por razões imprevisíveis.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSGMSALAODEAUTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.