Cereais: Strategie estima produção da UE em 284,6 milhões/t

São Paulo, 16 - Os 25 países da União Européia (UE) deverão produzir 284,6 milhões de t de cereais na safra 2004/05. A estimativa é da consultoria francesa Strategie Grains que divulgou hoje seu relatório mensal. O número é ligeiramente superior às 284,5 milhões de t estimadas em novembro. A projeção para a produção de trigo mole foi revisada: aumento de 100.000 t para 124,5 milhões de t com aumento da estimativa de produção da Espanha, Finlândia e Suécia, superando a esperada queda na Dinamarca e Irlanda, informou o relatório. A produção de cevada também foi revisada para 60,8 milhões de t, 100.000 a menos que na previsão anterior. Já a estimativa para a produção de milho subiu 200.000 t para 52,7 milhões de t. A consultoria também divulgou sua primeira projeção para o plantio em 2005/06, mostrando um pequeno aumento de 1% para o trigo e redução de área para as demais culturas entre 1% e 5%. A causa desta redução, de acordo com o relatório, é a implementação do novo programa para a agricultura, que entra em vigor a partir de 1º de janeiro. No relatório divulgado em janeiro de 2005, a Strategie Grains fará sua primeira estimativa para a produtividade e produção na safra 2005/06. O consumo de trigo foi revisado para 1,7 milhão de t por causa dos baixos preços da commodity em relação a outros grãos utilizados para produção de ração. A consultoria estima aumento das importações de trigo dos EUA, em detrimento da Romênia e países dos Bálcãs. As exportações de trigo também devem cair, em torno de 1 milhão de t, em parte por causa da recuperação do dólar em 9 dezembro. Além disso, o elevado custo do frete do trigo proveniente da Argentina e de países do Mediterrâneo torna o produto francês mais competitivo, diz o relatório. O uso de cevada para a ração também caiu na Espanha e na República Tcheca, elevando a oferta da commodity nos dois países. No caso do milho para ração, a Strategie reduziu a estimativa em relação ao último relatório: a oferta deve superar a demanda em 1,6 milhão de t na UE. A Hungria é a maior responsável por esta projeção. Lá os grãos excedentes estão sendo estocados, diz a consultoria. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2004 | 12h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.