Cesp não investirá em novos ativos até decisão sobre concessões

Estatal paulista de geração de energia deve se reunir com estatais de Minas Gerais e do Paraná para discutir a renovação das concessões do setor

Reuters,

24 de maio de 2011 | 14h33

A estatal paulista de geração de energia Cesp não investirá em novos empreendimentos até que a União decida o destino das concessões do setor elétrico que expiram a partir de 2015, se restringindo a aportes apenas em modernização e conservação dos ativos já existentes.

"Até que a gente tenha uma definição clara não teremos investimentos em novas fontes de geração", disse o presidente da Cesp, Mauro Arce, em teleconferência nesta terça-feira, 24, sobre os resultados da companhia do primeiro trimestre.

No final do ano passado, foi proposta uma lei estadual - que foi entregue à Casa Civil do governo de São Paulo - para que a Cesp fosse autorizada a participar de leilões de geração em parceria com outras empresas.

A ideia não chegou na Assembleia Legislativa e, segundo Arce, a Cesp não vai se empenhar para que isso aconteça até que se resolva o tema das concessões.

Segundo o presidente da Cesp, a companhia deve se reunir na quinta-feira, dia 26, com as também estatais Cemig e Copel, de Minas Gerais e do Paraná, para discutir a renovação das concessões do setor elétrico. Será o segundo encontro das companhias, depois do realizado em 8 de abril, contanto também com a presença de representantes de associações do setor.

"Nesse período nós tivemos algumas ações no campo político, contatos com parlamentares... O assunto está evoluindo", afirmou Arce, que espera uma decisão da União até o final do ano sobre o assunto.

De acordo com o executivo, a discussão sobre encargos nas tarifas para as renovações está "bastante ativa". "É uma discussão mais política e eu acho que de alguma forma está ligada à tão esperada e discutida reforma tributária."

"A possibilidade de se fazer uma redução na tarifa... é bem mais limitada do que seria numa reforma tributária que levasse em conta não só os tributos, mas aqueles encargos que terminam onerando o consumidor final", ponderou.

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), vencerão em 2015 concessões de 68 usinas que juntas representam cerca de 20% do atual parque gerador de energia do país. Na área de distribuição, expiram os contratos de 40 concessionárias entre 2015 e 2016.

Dividendos

A Cesp deve manter a política de pagar em dividendos aos acionistas apenas o mínimo obrigatório, sem perspectivas de aumento atualmente.

No último dia 2, a Cesp anunciou que os acionistas aprovaram em assembleia o pagamento de dividendos no valor total de R$ 164,44 milhões.

(Por Carolina Marcondes)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.