Cesp vai a leilão por preço mínimo de R$7,06 bilhões

O governo de São Paulo pretendelevantar pelo menos 7,06 bilhões de reais com a privatização daCompanhia Energética de São Paulo (Cesp), vendendo em leilão em26 de março, na Bovespa, 43,31 por cento do capital total. O Programa Estadual de Desestatização (PED) também decidiuna terça-feira à noite reservar 5 por cento do capital daestatal de energia para os funcionários. Parte dessas açõespreferenciais para empregados será vendida com deságio. A área de relações com investidores da Cesp informou que141.859.751 ações da Cesp serão colocadas em leilão, entrepapéis ON e PNA e PNB. O governo paulista controla 95,31 porcento das ações com direito a voto. O PED definiu o preço por ação em 49,75 reais. A açãoordinária da Cesp, que encerrou o pregão de terça-feira cotadaa 36 reais, tinha alta de quase 6 por cento na manhã destaquarta-feira. O edital de privatização da empresa estará disponível apartir de segunda-feira. A Cesp é a maior geradora de energia elétrica do Estado deSão Paulo e a terceira maior do Brasil. A potência instaladatotal é de 7.455,30 MW, segundo informações do site dacompanhia. A empresa possui seis usinas hidrelétricas, as quais trêsno Rio Paraná (Ilha Solteira, Porto Primavera e Jupiá); umalocalizada no Rio Tietê (Três Irmãos) e duas na bacia do RioParaíba do Sul (Paraibuna e Jaguari). (Reportagem de Alberto Alerigi Jr, Rodolfo Barbosa e Renatade Freitas)

REUTERS

20 de fevereiro de 2008 | 11h28

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIACESPPRECO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.