Chefe da diplomacia da UE visitará Japão na próxima semana

Bloco busca maneiras de impulsionar seu fundo de resgate

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

28 de outubro de 2011 | 09h09

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Catherine Ashton, fará uma visita ao Japão, disse o Ministério da Relações Exteriores japonês, à medida que o bloco busca maneiras de impulsionar seu fundo de resgate.

A visita de Ashton, que será iniciada na terça-feira, ocorrerá após os líderes da zona do euro fecharem um acordo para fornecer novos recursos para a Grécia numa tentativa de conter os problemas da dívida da região.

Horas depois que o acordo foi fechado, os olhos voltaram-se rapidamente para as economias emergentes, incluindo a China, e para outros países da Ásia, como Japão, como fontes de recursos para a expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês).

O valor da EFSF será ampliado para € 1 trilhão (US$ 1,4 trilhão), mas, como os governos europeus estão cautelosos em colocar mais dinheiro no fundo, a região está olhando para mais longe.

O executivo-chefe da EFSF, Klaus Regling, está na China nesta sexta-feira e deverá viajar ao Japão no fim de semana, onde espera-se que pedirá à Tóquio para aumentar sua contribuição.

Tóquio já comprou 20% dos bônus emitidos pela linha e expressou desejo de comprar mais, mas até agora tem se esquivado de assumir qualquer compromisso firme.

O Ministério da Relações Exteriores disse que o itinerário de Ashton incluirá uma reunião com o ministro das Relações Exteriores, Koichiro Gemba, no qual os dois "trocarão opiniões sobre a relações do Japão e da União Europeia...bem como desafios comuns que enfrentam".

Segundo o ministério, a Ashton também visitará áreas no nordeste do país, que foram afetadas pelo tsunami que devastou a costa em março, deixando 20 mil pessoas mortas ou desaparecidas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
União EuropeiaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.