Chegada da chuva antecipa plantio de verão

Sol e chuva bem distribuída também favorecem condições das pastagens e pecuarista consegue reduzir custos

Fábio Marin - O Estado de S.Paulo ,

24 Outubro 2008 | 20h23

Uma frente fria chegou à Região Sudeste na semana passada, causando chuva intensa em várias localidades do Estado de São Paulo. Com isso, o armazenamento hídrico do solo manteve a tendência de alta, iniciada em setembro. Na maioria das localidades a umidade do solo já está acima de 50% da capacidade máxima de retenção, o que favorece os trabalhos de preparo do solo e permite a semeadura da safra de verão em boas condições. Apenas em Franca, Barretos e Presidente Prudente as reservas ainda estão abaixo de 30% da capacidade. A chegada das chuvas com certa antecedência neste ano é indicador de melhores condições para o cultivo das lavouras anuais na safra 2008/2009, já que a semeadura vem sendo feita na época mais apropriada, com chuvas em volume adequado e com boa distribuição. Além de elevar o vigor na germinação e no estabelecimento das culturas - requisitos para produtividade elevada -, as condições do tempo deste ano indicam que a safrinha de milho e sorgo 2009 também será favorecida. PECUÁRIA As condições do tempo - sol, calor e chuva bem distribuída - também vêm favorecendo as pastagens de todo o Estado, melhorando as condições de trabalho para os pecuaristas e reduzindo os custos na alimentação dos animais. Para os produtores de leite, contudo, a rebrota dos pastos apenas diminui os prejuízos. A queda do preço do litro de leite, para níveis abaixo dos custos de produção, em plena entressafra, já afeta o setor e pode causar efeitos na produção do próximo ano. Nos canaviais a safra se aproxima do fim em boa parte das usinas de São Paulo, com produção maior que a safra anterior. As chuvas das últimas semanas beneficiam os canaviais já colhidos e indicam boas perspectivas de produtividade para a próxima safra. A chuva causou pequenos atrasos nas operações de campo, mas não comprometeu o fim da colheita da uva itália em Jales; da banana em Registro, Juquiá e Iguape; do pêssego em Jundiaí e Valinhos e das variedades tardias de Matão, Botucatu e Itápolis; do limão taiti em Taquaritinga e da melancia em Marília. *Fábio Marin é pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária. Para mais informações sobre tempo e clima, acesse www.agritempo.gov.br var keywords = "";

Mais conteúdo sobre:
Pecuária

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.