Divulgação
Divulgação

Cheques já podem ser depositados pelo celular

Bradesco estende para clientes das primeiras agências físicas o serviço virtual criado em 2012 para as agências digitais e serviço Prime, onde mais de um bilhão de cheques já foram depositados virtualmente

O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2014 | 11h06


SÃO PAULO - O esforço dos bancos para tirar os clientes das agências continua avançando, graças às novas tecnologias. A mais recente novidade é o depósito de cheque pelo celular, sem a necessidade de levar o cheque até o caixa.

O Bradesco anunciou nesta sexta-feira, 26, que os clientes das suas agências físicas convencionais já podem fazer depósitos em cheque pelo celular. O prazo de compensação é o mesmo do que se o cheque fosse depositado no caixa e pode ser conferido imediatamente no extrato também via celular.

O serviço foi iniciado em 2012 nas Agências Digitais Varejo e Prime, e agora foi implantado nas agências Prime Paulista, em São Paulo, e Dona Primitiva Vianco, em Osasco, onde fica a sede central do banco. Cerca de 1 bilhão de transações via celular já foram feitas entre janeiro e agosto de 2014.

"Nossa projeção para os próximos 12 meses é de 500 mil depósitos realizados pelo celular", afirma Mauricio Minas, vice-presidente do Bradesco. Serão beneficiados nessa etapa mais de 250 mil clientes.

Segundo Maurício Minas, o Bradesco Celular é o canal que mais cresce no Bradesco. São mais de 180 tipos de serviços que podem ser acessados dos celulares mais simples aos smartphones, possibilitando aos clientes fazerem suas operações bancárias a qualquer hora e em qualquer lugar. 

Como funciona o depósito de cheque pelo celular:

1. Para realizar o depósito via smartphone, o primeiro passo é fotografar o cheque com a câmera do celular com o aplicativo do Bradesco.

2. O cliente envia a foto do cheque para o banco por meio do aplicativo do banco.

3. Imediatamente, o depósito pode ser conferido no extrato da conta também pelo aplicativo.

4. O prazo de compensação é o mesmo que o do depósito convencional com o cheque em papel apresentado na agência. 

5. O cliente deve guardar o cheque por oito dias, pois passa a ser o 'fiel depositário' do documento perante a justiça.

6. Se for um cheque 'borrachudo', isto é, sem fundos, basta depositar novamente (reapresentar), da mesma forma como seria feito com um depósito comum. Após oito dias, o cheque pode ser destruído.

Tudo o que sabemos sobre:
BradescoSmartphone

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.