Cheques sem fundo em agosto têm pior resultado para o mês desde 2006, aponta Serasa

Cheques sem fundo em agosto têm pior resultado para o mês desde 2006, aponta Serasa

O aumento de 2,02% em agosto representa avanço ante inadimplência de 1,87% apurada no mesmo mês do ano passado

REUTERS

18 de setembro de 2014 | 10h29

O número de cheques devolvidos no país por insuficiência de fundos alcançou 2,02 por cento do total de compensados em agosto, no patamar mais alto para o mês desde 2006, quando a marca foi de 2,04 por cento, informou a Serasa Experian nesta quinta-feira.

O percentual representa avanço ante inadimplência de 1,87 por cento apurada em agosto do ano passado. Na comparação mensal, no entanto, o índice recuou, pois em julho os cheques devolvidos representaram 2,24 por cento do total.

Já no acumulado dos oito meses do ano, o percentual de devoluções subiu para 2,10 por cento, ante 2,05 por cento no mesmo período de 2013.

Economistas da Serasa escreveram em nota que a alta da inadimplência reflete "a crescente dificuldade que o brasileiro está encontrando para honrar seus compromissos financeiros".

Entre fatores que contribuem para reforçar o cenário adverso, estão o enfraquecimento do mercado de trabalho, a elevação dos juros e a estagnação econômica, acrescentaram os economistas.

(Por Renan Fagalde, edição de Marcela Ayres)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASCHEQUESAGOSTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.