Chesapeake nomeia ex-Conoco para presidir Conselho

A Chesapeake Energy nomeou o ex-executivo da Conoco Archie Dunham como seu novo presidente do Conselho de Administração, substituindo Aubrey McClendon no momento em que busca acalmar acionistas revoltados com a crise de governança.

REUTERS

21 de junho de 2012 | 15h32

McClendon, que ajudou a fundar a empresa há 23 anos e fez dela a segunda maior produtora de gás natural do mundo no país, atrás da Exxon Mobil, vai continuar como presidente-executivo, mas vai se reportar a um conselho mais independente e a um influente presidente do Conselho de Administração que provavelmente vai freá-lo em seus gastos livres.

Lutando contra um fraco fluxo de caixa em meio aos mais baixos preços em uma década e um rombo de financiamento de 10 bilhões de dólares, a Chesapeake está correndo para vender ativos enquanto foca explorar seus campos mais lucrativos.

Em maio, a Chesapeake afirmou que dividiria as funções de presidente-executivo e presidente do Conselho. Tal decisão foi tomada no rastro de reportagens da Reuters que diziam que McClendon, então presidente-executivo e do Conselho, tomou mais de 1 bilhão de dólares em empréstimos, utilizando a participação pessoal nos poços da companhia como garantia.

A chegada de Dunham ressaltou especulações de que a empresa poderia buscar um comprador.

(Por Anna Driver e Brian Grow)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIACHESAPEAKEEXECUTIVO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.