Rogerio Santana/Reuters
Rogerio Santana/Reuters

Chevron diz-se comprometida a ficar no Brasil apesar de vazamento

Executivo da petroleira disse que a empresa considera-se 'muito orgulhosa' de sua resposta ao acidente ocorrido em novembro

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2011 | 18h20

A petrolífera norte-americana Chevron declarou-se nesta quinta-feira, 15, "comprometida" a permanecer no Brasil no longo prazo e manifestou a expectativa de "seguir adiante" depois do derramamento de petróleo ocorrido no início de novembro e que levou à intensificação do escrutínio sobre a empresa por parte das autoridades e dos órgãos reguladores brasileiros.

HOUSTON - "Estamos comprometidos com o Brasil e continuamos a trabalhar com todas as agências federais", disse Ali Moshiri, presidente da Chevron para produção e exploração na América Latina e na África, em conversa com jornalistas às margens de uma conferência sobre gás e petróleo em Houston. "Trata-se de um incidente infeliz e nós vamos continuar trabalhar para solucionar o problema e seguir adiante."

O executivo afirmou ainda que a Chevron considera-se "muito orgulhosa" de sua resposta ao vazamento ocorrido no início do mês passado, uma vez que, segundo ele, a rápida reação teria feito com que "não houvesse impacto ambiental" resultante do derramamento.

Ontem, o Ministério Público Federal em Campos (cidade no norte fluminense) pediu à Justiça Federal que a petroleira norte-americana Chevron e a empresa Transocean paguem indenização de R$ 20 bilhões por danos ambientais e sociais causados pelo derramamento de óleo no Campo de Frade (Bacia de Campos) em 7 de novembro.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CHEVRONBRASILVAZAMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.