China ampliará acesso de bens dos EUA ao mercado chinês

Promessas chinesas foram feitas durante uma reunião conjunta de comércio realizada durante a visita oficial do presidente da China, Hu Jintao, aos EUA

Gustavo Nicoletta e Renato Martins, da Agência Estado,

19 de janeiro de 2011 | 14h50

A Casa Branca afirmou em um comunicado que a China assumiu o compromisso de ampliar o acesso dos bens manufaturados dos EUA ao mercado chinês e de garantir com maior rigor os direitos de propriedade intelectual. O país asiático também se comprometeu a eliminar políticas que discriminem produtos com base em sua origem.

As promessas chinesas foram feitas durante uma reunião conjunta de comércio realizada durante a visita oficial do presidente da China, Hu Jintao, aos EUA. Ele ainda deve discutir no Escritório Oval com o presidente dos EUA, Barack Obama, sobre questões relacionadas ao mercado de câmbio, entre outros assuntos.

"Tratamento igual"

Jintao disse que as empresas dos EUA recebem "tratamento igual" em seu país e que a perspectiva para o comércio entre EUA e China é promissora. Hu fez essas declarações na Casa Branca, no segundo dia de sua visita de Estado aos EUA. Ao falar aos jornalistas, ele estava ladeado pelo presidente norte-americano, Barack Obama, e pelos executivos chefes de várias empresas, entre elas Boeing, General Electric e Lenovo.

Obama disse esperar que empresas norte-americanas e chinesas possam concorrer de forma justa e que os EUA precisam superar o estereótipo de que a China não faz mais do que "roubar" empregos industriais de norte-americanos. Ele fez essa declaração depois de funcionários do governo dos EUA anunciarem que empresas norte-americanas fizeram acordos de US$ 45 bilhões para exportar produtos para a China.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Casa BrancaChinacomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.