China deve crescer 8% este ano e de 9% a 10% em 2010

Já o Japão, segunda economia mundial, deverá encolher entre 3% e 5% neste ano

Cláudia Trevisan, CORRESPONDENTE

24 de outubro de 2009 | 15h35

A China deverá crescer no mínimo 8% em 2009 e entre 9% e 10% no próximo ano. Mergulhado na mais grave recessão desde o pós-guerra, o Japão deverá encolher entre 3% e 5% neste ano, ainda que seu Produto Interno Bruto (PIB) aumente quando calculado em dólar, em razão da valorização do iene.

Nos três primeiros trimestres do ano, a economia chinesa cresceu 7,7%, impulsionada pelo pacote de estímulo de US$ 584 bilhões anunciado pelo governo há quase um ano.

Os investimentos – a maioria públicos – responderam por 95% do crescimento do país no ano e levaram a uma explosão de obras de infraestrutura, com a construção de ferrovias, metrôs, estradas, portos e aeroportos. A origem desses recursos são empréstimos dos gigantescos bancos estatais, que deram créditos de US$ 1,28 trilhão de janeiro a setembro de 2009. No ano, o volume de financiamentos deve chegar a US$ 1,5 trilhão, o dobro de 2008.

O grande debate entre economistas é se a economia chinesa será capaz de continuar a crescer no mesmo ritmo quando a torneira do estímulo for fechada, no fim de 2010. O governo tenta aumentar o consumo doméstico, para reduzir a dependência do país em relação a investimentos e exportações. Mas esse é um processo lento, que não deverá ter grande impacto no curto prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
China, Japão, economia, PIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.