China nega que considera pagar mais por minério de BHP e Rio

Representantes da indústriasiderúrgica chinesa disseram nesta segunda-feira que assiderúrgicas da China não estão considerando pagar um prêmiorelacionado a frete exigido pelas mineradoras australianas BHPBilliton e Rio Tinto. A demanda tornou-se um ponto de obstáculo nas tensasnegociações sobre os contratos de fornecimento de minério deferro de longo prazo, que autoridades chinesas dizem que devemcontinuar a serem baseados em preços FOB que excluem preços comfrete. O jornal The Australian publicou nesta segunda-feira queZou Jian, presidente da Associação Metalúrgica e de Mineraçãoda China, disse em ume reunião da indústria em Xangai que assiderúrgicas estavam considerando incluir taxas de frete emseus contratos anuais de fornecimento de minério de ferro. Mas Zou disse à Reuters que a notícia não o citoucorretamente e que tarifas de frete altas são um fator incomumeste ano que não garante uma alteração de longo prazo nosistema de estabelecimento de preços. "Se você olhar a questão do lado australiano, seriacompreensível pedir que os fretes sejam inclusos nos preços dominério de ferro", disse Zou. As tarifas de frete da Austrália para a China estão em 11dólares por tonelada, bem abaixo das taxas do Brasil para aChina, de 25 a 30 dólares a tonelada, afirmou o representante. "Não queremos abandonar o sistema de longo prazo apenas porcausa dos fretes, porque as tarifas são voláteis e vão mudar nofuturo", afirmou. Representantes da Rio Tinto e da BHP não comentaram oassunto. Chen Xianwen, um diretor na Associação de Ferro e Aço daChina, disse à Reuters nesta segunda-feira que a entidadesempre insistirá num sistema de preços anual baseado em preçosFOB nas negociações. Sem um acordo com as mineradoras australianas, a indústriasiderúrgica chinesa, a maior do mundo, tem sido forçada acomprar minério de ferro no mercado à vista, onde os preços sãomuito maiores que os praticados em contratos anuais. Mas os chineses têm se mostrado relutantes em aceitar umacordo de preços que ultrapasse o reajuste de 65 a 71 por centofechado este ano com a mineradora brasileira Vale em fevereiro.A Vale é a maior produtora de minério de ferro do mundo,enquanto a Rio e a BHP estão respectivamente na segunda aterceira posição no ranking. As mineradoras australianas estarão livres para vender maisminério nos mercados à vista somente após 30 de junho, se nãofor acertado um contrato até essa data. "Não consigo prever as siderúrgicas chinesas se mantendofirmes diante das exigências da Rio e da BHP por muito tempo. Aalternativa simplesmente é muito cara", disse o analista JamesWilson, da DJ Carmichael & Co.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.