China pede que países elevem confiança nas moedas de reserva

País perdeu para o Japão posto de maior detentor de Títulos do Tesouro dos EUA e provocou questionamentos sobre redução no volume de T-Notes em suas reservas

Danielle Chaves, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2010 | 14h07

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Qin Gang, pediu que os países com moedas utilizadas como reservas internacionais elevem a confiança do mercado em suas moedas e disse que a China administra suas reservas com base nas condições do mercado.

 

Qin fez as declarações em resposta a uma pergunta sobre recentes relatos de que a China reduziu a quantidade de títulos do Tesouro dos EUA que possui. "Quando comprar (dívida dos EUA) e quanto comprar é inteiramente determinado pelas condições do mercado e pelas nossas necessidades", disse Qin.

 

"Ao mesmo tempo, países que emitem grandes moedas de reserva deveriam também tomar medidas para elevar a confiança do mercado internacional em suas moedas", acrescentou.

 

No início deste mês, dados dos EUA mostraram que a China perdeu sua posição como o maior detentor de dívida do governo norte-americano para o Japão no fim do ano passado. O montante detido pela China caiu para US$ 755,4 bilhões, em comparação com o pico de US$ 801,5 bilhões atingindo em maio de 2009.

 

A China possui a maior reserva internacional do mundo, que totalizava US$ 2,4 trilhões no fim do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
China, reserva, dólar, treasuries

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.