China permite negociação com moeda da Malásia no mercado doméstico

País tenta fortalecer o yuan e ampliar seu uso no comércio entre fronteiras

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

19 de agosto de 2010 | 11h20

A China, pela primeira vez, permitiu negociações domésticas de yuans contra ringgits, a moeda da Malásia, e anunciou ampliação do número de moedas que terão permissão para ser negociadas no mercado chinês, em mais uma iniciativa para fortalecer o yuan e ampliar seu uso no comércio entre fronteiras.

Pequim tem promovido o uso do yuan em transações comerciais e expandido o escopo de utilização do yuan em negócios em Hong Kong nos anos recentes para internacionalizar o yuan. No início desta semana, a China lançou um programa piloto permitindo que investidores estrangeiros tragam yuans que estão em outras praças fora do país para o mercado interbancário de bônus.

A iniciativa para permitir negócios entre yuans e ringgits no mercado interbancário de moeda ocorre após o banco central da Malásia remover algumas limitações para as negociações do ringgit por estrangeiros, as quais foram impostas após a crise financeira asiática de 1997. O ringgit subiu para uma máxima em 13 anos contra o dólar nesta quinta-feira com a divulgação da notícia.

O Banco do Povo da China estabeleceu a paridade central do yuan contra o ringgit, uma referência de taxa de câmbio utilizada para orientar os movimentos diários, em 0,46204 ringgit. Nas transações diárias, será permitido oscilação de 5% acima ou abaixo do nível estabelecido para a paridade central, disse o Centro de Negociações de Câmbio da China (CFETS, na sigla em inglês), responsável pela plataforma de negociação doméstica de moedas do banco central. Essa banda de oscilação é superior à banda de oscilação do yuan contra o dólar, de 0,5%; e do yuan contra outras quatro moedas - euro, iene, dólar de Hong Kong e a libra - de 3%.

O CFETS declarou que a estreia do ringgit no mercado doméstico ocorreu hoje de modo "suave", citando preços "normais" cotados por três market makers não específicos e "ativas" consultas de preços de outros participantes.

A primeira transação entre yuans contra ringgits foi fechada entre o HSBC Bank e o Bank of Communications a 0,46125 yuans, em uma transação equivalente a 1 milhão de yuans, disse o CFETS.

Segundo traders, esse volume é reduzido em comparação as transações entre dólares e yuans que normalmente envolvem lotes de US$ 10 milhões. Eles acrescentaram que o interesse no par é baixo, já que o comércio bilateral dos países é relativamente modesto e não há dados de preços disponíveis aos investidores.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
ChinayuanMalásiacâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.