China precisará de US$340 bilhões em aviões nos próximos 20 anos

A Boeing divulgou nesta terça-feiraestudo em que prevê que a China precise de 3.400 novos aviõesnos próximos 20 anos, o equivalente a cerca de 340 bilhões dedólares. A estimativa é maior que a calculada pela empresaanteriormente. A previsão anterior da Boeing era de que a China precisariade 2.900 aviões nas próximas duas décadas, 64 por cento dosquais de corredor único (conhecidos como "single aisle"). "Os vôos domésticos na China aumentaram mais de dezesseisvezes desde 1990, enquanto o tamanho dos aviões continuoupraticamente o mesmo", disse Randy Tinseth, vice-presidente deMarketing para aviões comerciais da Boeing, em comunicado. "Ocrescimento médio projetado da demanda do mercado domésticochinês é de quase 9 por cento." Até 2026 o mercado chinês vai crescer quase cinco vezes,informou a Boeing, e será maior que o atual mercado dentro daAmérica do Norte. A Boeing informou à Reuters neste mês que a Chinacontinuará sendo o principal mercado da companhia fora dosEstados Unidos pelos próximos 20 anos. A empresa espera que umem cada 10 aviões que produzir vá para a China continentaldurante o mesmo período. A empresa tem atualmente 2,5 bilhões de dólares emcontratos em andamento com fornecedores de peças na China.Lemes do novo 787, por exemplo, são fornecidos exclusivamentepor fabricantes chineses.

REUTERS

18 de setembro de 2007 | 10h34

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASBOEINGCHINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.