China punirá Carrefour e Walmart por práticas enganosas de preços

Comissão ordenou o confisco da receita que os supermercados obtiveram com as práticas ilegais, bem como multas de cinco vezes o valor desses lucros

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2011 | 09h39

PEQUIM - A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês) na China afirmou que encontrou práticas enganosas de preços abusivos em algumas das lojas do Carrefour e do Walmart no país e ordenou que autoridades locais punam esses estabelecimentos. Às 9h10 (de Brasília), as ações do Carrefour subiam 0,40% na Bolsa de Paris, enquanto as do Walmart avançavam 0,03% no pré-mercado em Nova York.

A NDRC ordenou o confisco da receita que os supermercados obtiveram com as práticas ilegais, bem como multas de cinco vezes o valor desses lucros, ou de até 500 mil yuans (US$ 76 mil) nos casos onde não houve lucro ilegal ou o ganho não pode ser calculado, destacou a comissão.

A decisão ocorre num momento que as pressões inflacionárias permanecem altas na China, agravadas pelo período de pico do consumo nos feriados do Ano Novo e do Ano Novo Lunar. O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) chinês acelerou inesperadamente no quarto trimestre do ano passado, apesar de uma série de medidas de aperto adotada por Pequim.

A comissão listou 11 lojas do Carrefour e três do Walmart em várias cidades onde os supermercados adotaram práticas como a criação de preços supostamente "originais" ou a cobrança maior por produtos que os preços em seus rótulos.

Todos os supermercados na China devem evitar tais práticas, disse a NDRC, acrescentando que vai reforçar o acompanhamento dos preços no período do Ano Novo Lunar. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.