China sugere que déficit comercial permite alta mais lenta do yuan

Superávit comercial como porcentagem do PIB provavelmente vai cair neste ano, depois de ter atingido 3,1%, sugere governo

Danielle Chaves, da Agência Estado,

19 de abril de 2011 | 09h52

A diminuição do superávit comercial da China "cria boas condições para a estabilidade do yuan", afirmou o porta-voz do Ministério do Comércio chinês, Yao Jian. A declaração sugere que a mudança na dinâmica do comércio do país permite uma valorização mais lenta do yuan.

O superávit comercial da China como porcentagem do Produto Interno Bruto (PIB) provavelmente vai cair neste ano, depois de ter atingido 3,1% no ano passado, segundo Yao. Essa é a segunda vez em menos de uma semana que uma autoridade do Ministério do Comércio chinês sinaliza que a valorização do yuan deverá ser reexaminada em seguida ao anúncio de um inesperado déficit comercial no primeiro trimestre deste ano.

Na semana passada, o ministro Chen Deming levantou a possibilidade de que a alta do yuan tenha colaborado para o déficit e disse que o governo poderá ajustar sua política cambial se for determinado que a taxa de câmbio realmente teve influência nisso.

A China teve déficit comercial de US$ 1,02 bilhão no primeiro trimestre deste ano - o primeiro déficit trimestral em sete anos. Economistas esperam que o país volte a registrar superávits mensais em breve e tenha um grande superávit comercial neste ano.

Apesar do déficit no começo do ano, Yao afirmou que a China não vai mudar sua política de estimular as importações e disse que o país vai aumentar ainda mais a compra de produtos de alta tecnologia, de grãos e de soja. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
yuanChinasuperávitChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.