Chinesa pagará US$ 1 bi por 7 cias de energia no País

A State Grid Corp. of China concordou em pagar quase US$ 1 bilhão para comprar sete companhias brasileiras de transmissão de energia, informou em um comunicado a Comissão de Supervisão e Administração de Ativos do Conselho Estatal chinês. Um representante da State Grid confirmou que a aquisição envolve as subsidiárias das espanholas Grupo Cobra, Elecnor e Grupo Isolux, como havia sido divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo em maio deste ano.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

21 de dezembro de 2010 | 12h06

O valor informado na ocasião pelo jornal, de R$ 3,1 bilhões (US$ 1,7 bilhão), era uma estimativa, segundo o representante da companhia chinesa estatal chinesa. O acordo deverá gerar mais de US$ 110 milhões em ganhos anuais para a State Grid, segundo o comunicado.

A companhia chinesa também garantiu uma concessão de 30 anos para operar linhas de energia, subestações e outros itens de infraestrutura que servem principalmente à Região Sudeste do Brasil. O acordo permite que autoridades brasileiras renovem a licença por mais 20 anos.

Recentemente a China tem se concentrado na América do Sul porque na região há poucos obstáculos para investimentos e por causa do rápido crescimento econômico local - e o aumento no consumo de energia. A State Grid é a maior companhia de serviços públicos do mundo, com receita de US$ 164 bilhões em 2008. A empresa foi fundada em 2002 como parte dos esforços da China para reformar e modernizar sua rede de energia.

Neste mês a State Grid criou uma subsidiária no Brasil, chamada State Grid Brazil Holding Ltd., para dirigir as operações no País. A companhia planeja transformar a subsidiária em um "negócio de energia de primeira classe mais forte, mais competitivo e influente na América do Sul", de acordo com o comunicado do órgão do governo chinês. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.