Chineses estão de olho na C&A

De acordo com fontes a par do assunto, o negócio estaria próximo de ser concluído

O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2018 | 00h08

A família Brenninkmeijer, que é controladora da rede de vestuário C&A, estaria considerando a venda da companhia a um investidor chinês, afirmou a revista alemã Der Spiegel neste fim de semana. De acordo com fontes a par do assunto, o negócio estaria próximo de ser concluído.

A C&A opera centenas de lojas na Europa, América Latina e Ásia. Fundada em 1841 na Holanda pelos irmãos Clemens e August Brenninkmeijer, a família Brenninkmeijer controla a varejista por meio de sua holding Cofra, baseada na Suíça. Em comunicado, a holding informou que está “completamente comprometida em manter um negócio bem-sucedido e com futuro para a C&A e que a companhia embarcou em um programa de transformação e crescimento”, sem negar ou confirmar se a transação está em andamento.

++VEJA TAMBÉM Odebrecht troca o nome da OOG

No Brasil, a varejista está presente desde os anos 1970 em cerca de 120 cidades. A primeira loja foi inaugurada no Shopping Ibirapuera, zona sul de São Paulo. Com faturamento global de ¤ 2,6 bilhões em 2017, a C&A, um dos maiores grupos de moda do mundo, vem sofrendo forte concorrência das lojas online. /AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Tudo o que sabemos sobre:
C&a

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.