Chipre formaliza pedido de resgate à União Europeia

País, prejudicado pela crise de dívida da Grécia, é o quinto da zona do euro a pedir ajuda financeira

REUTERS

25 de junho de 2012 | 13h30

NICÓSIA - O Chipre afirmou nesta segunda-feira, 25, que buscará ajuda financeira dos fundos de resgate da União Europeia (UE), o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF, na sigla em inglês) e o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM), para conter exposição do setor financeiro à Grécia.

"O propósito da assistência requerida é conter os riscos à economia cipriota, sobretudo aqueles decorrentes dos efeitos negativos a seu setor financeiro, devido à ampla exposição da economia grega", anunciou o governo.

Grécia, Irlanda e Portugal já contam com resgates internacionais. A Espanha pediu ajuda a seus bancos, mas ainda não recebeu o benefício. O pedido, que já era esperado há semanas, significa que o Chipre será o quinto país da zona do euro a buscar ajuda internacional.

Uma autoridade da zona do euro afirmou que ainda não está determinado se o Chipre precisará de um resgate apenas para os bancos do país, acrescentando que o governo pode precisar de uma ajuda mais ampla. A forma e o tamanho exato do auxílio serão estabelecidos nas próximas semanas, uma vez que as instituições da União Europeia "analisarem a situação".

 As informações são da Dow Jones.

(Com informações da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHIPRERESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.