Chiquita é multada por financiar paramilitares na Colômbia

Um tribunal dos Estados Unidosdeterminou nesta segunda-feira que a produtora de frutaChiquita Brands International deve pagar uma multa de 25milhões de dólares por ter financiado paramilitares naColômbia, após um acordo da empresa com o Departamento deJustiça. A Chiquita, um dos maiores produtores de banana do mundo,havia chegado, em março, a um acordo com a justiça, que liberouexecutivos da empresa. "Estamos satisfeitos de que o juiz Royce Lamberth tenhaaceito o pré-acordo", disse Dean Boyd, porta-voz doDepartamento de Justiça, à Reuters, por telefone. "A multa de 25 milhões de dólares representa a maior penacriminal já imposta sob as regras de sanções contra oterrorismo global", acrescentou. Segundo o advogado Paul Wolf, que representa 150 famíliascolombianas supostamente vítimas de violência paramilitar emoutro caso contra a Chiquita, a multa será paga em cinco cotasanuais de 5 milhões de dólares. Como parte do acordo, a companhia admitiu ter realizadomais de 100 pagamentos, desde 1997 até fevereiro de 2004, àsAutodefesas Unidas da Colômbia (AUC), uma organizaçãoclassificada como terrorista pelos Estados Unidos, em um totalsuperior a 1,7 milhão de dólares. "Esse valor é muito pequeno para a Chiquita, ninguém irápara a cadeia e o público nunca saberá quem foram osresponsáveis", disse Wolf. A Chiquita disse que os grupos haviam realizado ameaçascontra seus trabalhadores e que efetuou os pagamentos apenaspara proteger os funcionários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.