Chubb Seguros sobe preço em 8% para manter rentabilidade

A Chubb Seguros, seguradora voltada para o público de alta renda, promoverá, até este mês, um aumento médio de 8% nos preços cobrados aos clientes na tentativa de recompor a sua margem financeira e manter a rentabilidade. A ação, iniciada em outubro, atingiu todas as linhas de atuação da companhia. "Começaremos 2012 com os pés calçados. Grande parte do mercado brasileiro de seguros tem mais resultado financeiro do que técnico. As empresas que ainda não realinharam seus preços para cima terão de fazer", analisou Acacio Queiroz, presidente da Chubb Seguros, durante encontro com a imprensa realizado hoje. "A autorização para as seguradoras poderem investir em letras financeiras veio em boa hora", comemorou.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

30 de novembro de 2011 | 14h39

Outros pontos que estão sendo revistos no âmbito da companhia são as despesas e a produção, que passam por um processo de equalização, além do capital humano, que está sendo treinado. "Estamos automatizando o nosso negócio. A parte mais difícil é formar pessoas. Com estas mudanças, esperamos manter a nossa lucratividade no ano que vem", observou Queiroz. A expectativa da Chubb é crescer 10% em 2011 e no ano que vem. "Devemos somar R$ 950 milhões em prêmios neste ano", projetou o presidente da seguradora.

A operação brasileira da companhia é a terceira maior da Chubb Corporation no mundo e a expectativa de Queiroz é alcançar a segunda colocação em breve. Sobre o mercado local de seguros, o executivo aposta em crescimento de 18% em 2011 e de cerca de 15% em 2012. "Devemos ter uma desaceleração da economia no primeiro trimestre do ano que vem por conta da crise. O lucro dos seguros gerais será menor, especialmente por conta da carteira de automóveis", analisou.

Entre os ramos de destaque para 2012, ele citou o de seguros de vida, cuja demanda está crescendo por conta da maior distribuição de renda, e de garantia, seguro que garante o cumprimento de uma obrigação contratual, puxada pelas grandes obras previstas para acontecerem no País. Segundo Queiroz, o segmento de vida deve ter elevação de 30% na Chubb em 2011, totalizando R$ 250 milhões em prêmios e o de garantia "deve mais que dobrar", para R$ 16 milhões em prêmios. "Tínhamos uma carteira muito pequena", justificou.

Tudo o que sabemos sobre:
seguroChubbreajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.